segunda-feira, 9 de junho de 2014

Cantiga de vida

Com um toque delicado no ombro
Ela vem e me chama.
Faz tremer todo o meu corpo.
A respiração fica descompassada.
Ao olhá-la, não sei mais nada.
Estou perdido onde deveria estar.
Mas, como o homem na visão de Michelangelo
O tempo para antes d'eu tocá-la
E o reverso volta as cenas
Antes construídas pela minha cabeça.
Mas nem por isso me acalma.
Eu vejo o branco da tua luz.
Tu me balanças por dentro, até a alma
E faz o que sabe: me seduz.
Deixa, à noite, meu coração em tormento.
Só de pensar, já me vejo nervoso.
Meus olhos vagam os espaços abertos.
Me encontro, num sonho, submerso
E me acalma perceber tua presença
Até o momento no qual os olhares não mentem
E, quando percebo, já estou te beijando mentalmente.
Antes do meu suspiro terminar,
Você já rouba meu fôlego.
Eu vou andando desritmado.
Sintomas de um coração apaixonado
Que apenas por ilusões, sente coisas reais.
E se o sentimento é unilateral,
De que adianta sentir com fervor?
É canto tão triste a cantiga de amor
Eu, na verdade, só queria estar contigo.
E se realizarmos essa paixão,
Pode até ser mais que cantiga de amigo.
Seguro tua mão,
Puxo meu violão,
Tudo estará resolvido.
Assim, vamos cantando juntos
Que a graça da vida é estar sempre contigo.