sexta-feira, 7 de março de 2014

Nada

Sim, eu sei.
Eu perdi, perdi pra sempre, sei que tinha uma enorme chance de acertar as coisas e ser feliz, mas o que eu fiz? Nada.
Por que nada? Eu não sei dizer.
Sinto uma enorme bola dentro do meu coração isolando tudo o que chamo de amar, e nessa ilusão... me veio a solidão, um vazio profundo como um abismo. Me sinto só, apesar de ter tantos que me amam, tantos me querem bem... Por que eu continuo me sentindo só ? A resposta é: amor.
Por que seria amor? Porque é o meu maior desejo, e esse desejo esta se tornando uma obsessão patética. Como consigo viver sabendo disso? Mas mesmo assim, continuo na mesma besteira... É realmente ridículo, porém logo me esqueço desse ridículo, quando ele me vem em pensamento. Me lembra de como eu me apaixonei por ele, até hoje tento descobrir a causa principal, e sei que uma deles não é a beleza. Sim, claro ele é extremamente atraente, causando quase a mesma reação em todas as garotas: o estralo do encanto, que patético.

Às vezes sinto que ele pensa em mim, que de alguma forma eu apareço em seus pensamentos. Às vezes o ouço suspirar e olhar para o alto como se ele quisesse refazer tudo que o nós não havíamos feito: ficar juntos. Já fez mais de três anos nisso. Eu até tive meu primeiro namorado, para tentar esquecê-lo, apesar de que subitamente queria que ele fosse o meu primeiro, meu primeiro em tudo, que nessa vida é considerado para uma mulher uma lembrança doce e inocente. A depressão inútil que tenho quer me consumir o mais rápido possível. Não gosto mais de citar umas das grandes causas que hoje considero primárias para despertar esse sentimento. Foram as vidas passadas, e realmente afirmo, nós já tivemos chance. Nós já ficamos juntos, e concluo que em todas essas vidas, NENHUMA, meramente nenhuma, nós terminamos o que começamos, que é o amor. Sempre um de nós morria... fazendo assim um romance eternamente inacabado, e desta vez creio que o medo é tão forte que perdi a chance de estar com ele hoje. Sinto que se eu me aproximar dele, coisas horríveis vão acontecer, fazendo assim, a história se repetir. Eu não tenho quase certeza de nada nessa vida, só de uma coisa: eu o amo. 

Escrito por: Velha Amiga