domingo, 29 de setembro de 2013

Fotossintetizar

Hoje eu quero mudar
Vou deitar numa floresta pra me reecontrar
Vou fazer algo pra me surpreender
Encontrarei, em meio as folhas, o meu lugar
E tudo será calmaria
Com os cantos dos sabiás
Tudo será leve
Como o vento que bate nas folhas da copa
E revela seu batuque
Quero ser para sempre um bicho
Quero estar parado lá para sempre
Lá, onde tudo está sempre acontecendo
Lá, onde ocorre tudo que sabemos
Mas nunca ficamos para observar
Lá, onde os fungos decompõem as folhas
Onde as árvores protegem os pequenos
Onde os animais se atacam com veneno
Onde o mar bebe o Capibaribe
Onde há impressionantes estruturas de lama
Onde os carangueijos parecem brotar do chão
Eu quero mais é observar
Aprender quem eu sou
Sinto que, de agora em diante, tudo mudará
É estranho, mas não sei mais quem eu sou
Sou fóssil e sou pretróleo
Mas tudo bem
Pois também sou carne e sou exoesqueleto
Mas principalmente
Eu quero ser de súber!
Eu quero ter o verde
Eu quero ver o sol e ser feliz
Eu quero apenas fotossintetizar