terça-feira, 30 de julho de 2013

Lembranças Inevitáveis

Ao som da flauta doce,
O céu cinza aparece.
Árvores negras da floresta 
Nos atrai para o amor.

Por mais cuidado que se possa ter,
Acaba como inesperado.

O beijo da morte.

E assim recomeça tão distante
Quanto à própria época que nos chama.

Será que nascemos para nunca mais?

Momentos lastimáveis.
Lembranças inevitáveis.