quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Eza

Eu quero tua beleza
Tua tristeza
Misturada com a certeza
De um amor de incertezas
Com maquiagens de extrema destreza
Mas sutis, com leveza
Deixando de lado uma clareza
Que me ataca com tamanha dureza
E me leva numa correnteza
Para uma vida de frieza
Enquanto vives na nobreza
Eu declaro minha riqueza
Desse jeito, essa proeza
Não é da minha natureza
Mas declaro, sem fraqueza
Que eu amo toda essa tua boniteza