quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Mão única

Assim, pouco importa
Danem-se as pessoas e o mundo
Quando é amor, reconhecemos que tudo é apenas marginal
Ao sentimento que toma conta de tudo à nossa volta
Daí tanto faz
Sol ou chuva
Dia ou noite
Quatro paredes ou parque público
Com roupa ou sem roupa
O ato de amar é lindo e sincero
Imparável
Não importa se nos conhecemos ou não
Se tu és ou foste
Se tu tens ou teve
Se queres ou não
Quando se instala em gestos e olhares
Não há caminho de volta