quinta-feira, 25 de julho de 2013

Suspiros

Quem me dera, ao menos uma vez
Tirar todo o veneno que corre em minha veia
E todo o coração que me faz sentir
Agora mais confuso do que era antes

Quem me dera, ao menos uma vez
Sentir a luz que paira na floresta ao dia
Pra encontrar a respota deste sonho ruim
E tornar o pesadelo em um descanso de paz

Quem me dera, ao menos uma vez
Ter um pouco mais de sofrimento na vida
Pois assim, teria o que lamentar
E pararia com toda essa mentira e drama

Quem me dera, ao menos uma vez
Encontrar todo o sentido de uma vida terrena
Se te deixam preso neste mundo hostil
Como esperam que melhores e vivas sem ser corrompido?

Quem me dera, ao menos uma vez
Ter a força necessária para enfrentar o mundo
Todos os problemas eu derrotaria
E partiria daqui como um ser evoluído

Quem me dera, ao menos uma vez
Contemplar as sensações que um novo amor promete
Mas toda a solidão ainda está por vir
Pois reivindico sempre o que não mereço

Quem me dera, ao menos uma vez
Parar pra aproveitar tudo o que se pode nesta vida
A vida inteira ainda está por vir
Mas já vivo como algo que não tem mais tempo

Quem me dera, ao menos uma vez
Interromper este sentimento desnecessário
Deixar só as coisas boas emergirem
Pra, num piscar de olhos, eu não ser mais o mesmo