terça-feira, 2 de julho de 2013

A primavera, as flores e suas abelhas

Como uma flor que se abre
É o poeta quando revela seu interior na poesia.
Se deixa levar,
Conquista o olhar e a atenção do leitor,
Faz o leitor refletir,
Parar,
Pensar,
Sentir,
Cativa com sua beleza.
E daí, se o leitor é como uma abelha,
Ele entra na poesia do poeta,
Se lambuza com todo o néctar
E vai embora.
Transporta a essência
E faz a poesia multiplicar.
E ela se prolifera lindamente
Quando a primavera chega.
A primavera já se foi,
Mas se voltar a ser como era antes,
Nada mais lindo...
Poesia pra todo lado.
Poeta se revelando por aí.
Isto sim é belo:
O poder que as pessoas têm de se expressar.
Algo que é próprio apenas do ser humano,
Ou ser poeta.
Mas todos somos.
Todos podemos.
Pena que poucos se importam.