quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Um amor de vidro

Erro de um homem tolo
É achar que sua vida real e simples,
Sem nenhum tipo de magia ou intervenção sombria do destino,
Vai acabar como um filme de romance.
O amor que lhe tinhas antes,
Agora já deve ter se esquecido.
E tu, que carregas no peito o mesmo e velho coração partido,
Espera sempre, ao por do sol, o mesmo amor.
Mas este é efêmero e feito de vidro.
O mundo chegou perto e ele não suportou.
Ele foi desfeito e atropelado.
Ele se quebrou.