domingo, 7 de setembro de 2014

Amaria

Se os tempos não fossem tão curtos.
Se meus hábitos fossem menos noturnos
E os dias fossem eternos,
E nossas risadas não durassem horas seguidas,
Umas milhas não nos separariam.
Nossas palavras não se confundiriam.
Dos nossos olhares, ninguém duvidaria
Quando eles se encontrassem na Rua da Bahia
E a natureza risse em harmonia,
A lua enchesse de alegria,
A rua acalmasse todo dia,
O céu caísse em fantasia,
O mundo rodasse em eterna poesia.
Se não tivesse a voz que me joga pra cima,
Que se destaca entre 200 pessoas,
Que me ouve e chora comigo,
Mas que, no final da noite, me abre um sorriso,
O que eu,
O que você faria?
Pra lua, cantaria.
Com outras, sonharia.
Mas nenhuma delas eu jamais sentiria
Do jeito que sinto agora.
Eu sinto mesmo, sem demora.
Que eu a Maria.