domingo, 27 de julho de 2014

"Evolução"

O tempo foge da realidade.
O ser vai envelhecendo.
Meu psicológico difere da idade.
E minha complexidade, vai decrescendo.

Com pensamentos sempre conturbados,
Já deixei de ser uma pessoa útil.
Depois de mais de 300 anos passados,
Sou o mesmo cavalheiro fútil

E me amarga os olhos e a alma.
Perdi o tempo, e foi-se junto a calma
Que um dia tive com clareza.

Me perdi de quem eu era, com certeza,
Quando, pelo pescoço, fui pendurado.
Erro inocente de um ser cego e apaixonado.