sábado, 21 de junho de 2014

Pra trás

Estranha solidão de isolamento.
Amizade jogada no ar,
Sujeita ao esquecimento.
Quase dois meses se passam,
E sempre tem aquelas horas
Que você olha o passado
E lembra do que queria esquecer.
Do que te separa em tua vida
Da essência de teu ser.
São vários os pensamentos progressistas
Ao mesmo tempo que dou sempre passos para trás.
Você se esconde atrás dos arbustos.
Eu sei.
Eu percebo.
Eu sinto você,
Mas apenas tolero.
Posso ver você se mexendo,
Mas prefiro me fazer de cego,
Já que assim, menos dor causará.
E depois disso tudo, o que me tornei?
Um dos mais incríveis seres humanos
Que busca incessavelmente o poder que tanto desconheço
Entrou na minha vida muito tempo atrás.
Me retirou de sua vida,
Mas ela não saiu de mim.
Quando nos demos conta
Estávamos aqui.
Ela, decidida e com anseios
Eu, pra ela, sem propósitos
Ignorante e nem sempre tão lúcido.
Fui sendo deixado pra trás.
Sendo deixado pra trás.
Deixado pra trás.
Pra trás.