quinta-feira, 3 de abril de 2014

Dia

Hoje é dia
Dos meus poemas
Das minhas cartas de amor
Das minhas declarações
Dos meus primeiros pensamentos matutinos
Das minhas esperanças de menino
Das minhas paixões
Do meu esplendor
É dia
Das histórias que eu vi
E das belezas que chorei
De tudo que senti
Um dia por alguém
Dia
Das minhas experiências tamanhas
Do que eu sinto nas entranhas
Do que eu deixei pra trás
E do que carregarei pra sempre
É hoje
O dia que sou toda esquina
É dia que eu sou a verdade
Vivendo a calamidade
Do meu privado público
Assassinado
No meu linguajar pútrido
Deteriorado
No meu pensamento profundo
Hoje é dia
De todas que me disseram
"Eu te amo"
Que disseram
Estar apaixonadas
Que me disseram que eu sou da melhor qualidade
E ainda assim, por bondade
A mim não se submeteu
Hoje é dia
De todos os relacionamento que eu tive
E das imaginações que construí
É dia do meu cupido sem mira
Que me deu todo o amor que já gastei
Que me deu toda a esperança que desperdicei
Hoje é dia da mentira
E desse dia, eu sou rei
Não há, para mim, consolo
Eu sou o rei. O rei tolo