segunda-feira, 14 de abril de 2014

Amor de começo de abril

Sim, eu me vi no espelho
Eu vi meu olhar sombrio
Meu olhar vazio
Meus olhos mortos
E sem arrepio
Olhei pra frente
Percebendo que na verdade
Isto queria dizer olhar para trás
E assim, me lembrei da noite passada
Na jornada para encontrar a caixa
Que deveria conter tudo o que eu queria
Lembrei que, ao chegar lá
O que havia de precioso já tinha sido roubado
E o que havia de importante, já tinha derretido
As coisas tinham mudado
Depois de tantos corações partidos
Foi ali mesmo
Diante de todos os meus sonhos se destruindo
Que eu me dei conta da fragilidade do nosso mundo
E que já tinha visto meus olhares sombrios em outros olhos
Olhos que foram traídos e perderam seu rumo
É, talvez o rumo nosso seja mesmo se perder
Pois eu lembro que, naquela noite
Eu descobri a verdade sobre o amor
Que a vontade de ficar junto, é amor
A vontade de ver o outro, é amor
A vontade de se beijar, é amor
A vontade de conversar, é amor
Quando se pensa na pessoa ao acordar, é amor
Quando se pensa na pessoa antes de dormir, é amor
Quando coisas fazem-nos lembrar que amamos, é amor
Quando lembramos dos cheiros, é amor
Quando estamos lado a lado, é amor
Quando discutimos, é amor
Quando estamos com raiva, é amor
E por amor é que se chora e se mata
Que se constroi, que se destroi
E é por amor que a ira segue em frente
É por amor que dizemos sim e não
É amor quando pensamos no talvez
Quando abrimos espaço, é amor
E quando somos inflexíveis, é amor
Quando lemos sobre o que não nos interessa, é amor
Quando aprendemos pelo outro, é amor
Quando se há espaço para amar, é amor
E é amor quando não dá pra amar mais ninguém
É amor quando amamos outro alguém
E quando amamos a nós mesmos, isso é amor também
Amor é tanta coisa que nós mesmos não conseguimos entender
E é por isso, que tanta coisa é amor
Mas na verdade, o amor não é nada disso
Todas as nossas teorias sobre o amor
São baseadas em achismos
Falamos sobre ele com tanta propriedade
Mas não paramos pra pensar
Que a maioria de nós
Nunca soube o que é nada disso
Por isso, virou uma coisa com o nome bonito
Um significado magnífico
Mas tão abstrato
Que virou vazio
E eu, de tanto procurar
Achando que já tinha vivido tudo isso
Me decepciono em aqui dizer
Que "eu te amo" é a maior mentira
Que podem dizer pra você