terça-feira, 25 de março de 2014

Um trovador

Um dos mais incríveis seres humanos
Que buscam incansavelmente o poder do amar
Bateu na minha porta
Chegou sorrateiro, como sempre fez
Foi me conquistando
Nos tempos mais difíceis
Me fazia abrir aquele sorriso
Me fazia desejar que nunca fosse embora
Me afastava toda noite
Pra me conquistar ao amanhecer
E mesmo assim, eu nunca cansava
Até que o mandei embora
Custando minha felicidade
Mas já que não havia paixão
Da minha parte
Não valia a pena mantê-lo aqui
Chorei, sofri
Mas assim foi melhor
Que depois do choro que eu chorei
E que ele chorou
E o que eu sofri
E ele sofreu
A gente se acertou
Mas o coração dele não parou
O que sentia por mim
E assim de novo
Um dos mais incríveis seres humanos
Que buscam incansavelmente o poder do amar
Veio bater à minha porta
E eu de entendido
Abri a janela
Pra ele não puder entrar
Ele ficou lá
Até hoje não entende o que acontece
Não sabe que o que me apetece
É apenas e somente a franca amizade
E enquanto ele se deita lá e se faz pensar
Aqui estou para apoiá-lo a mudar
Nessa busca incansável pelo amor
Mas nunca ele vai entender
Que o que sente não se separa
É tudo assim mesmo
Que amizade e tudo o que vem junto
Do amor de amigo
Quando não se sabe definir
Nunca vai cessar a confusão
Tá bom que se ama pelo coração
Mas o próprio amor temos que discernir