quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Um conto celeste

Se vai uma estrela dos nossos dias
Se pondo em pleno começo de manhã
Saindo de nossos horizontes
Deixando pra trás seu celeste divã
Para reencontrar a aventura
Em terras um pouco mais distantes
Volte logo, estrela cantante
Não nos deixe em eterna amargura
Que os desafios você enfrente sem temor
E que seja tão bem sucedida
Que vai voltar flutuando em amor
E aqui ou lá, jamais será esquecida
Sendo coroada com paixão e louvor
Por sua família, pra ti, tão querida
Se vai uma estrela que não se apagou
Se vai um astro que não decaiu
Voou pelas nuvens e consigo levou
Tudo de bom que em mim já surgiu
Mas destino nenhum há de nos separar
Nada no mundo teria tal destreza
Ela partiu para um dia voltar
E disso, nós todos temos certeza
Que aqui é o seu lugar
Nosso coração é teu trono, ó realeza