terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A origem

Era tudo tão novo
Com ar de sombrio
Ela me olhava, um escroto
E eu me mostrava esguio
Me enchia da coragem
Que nunca tive antes
Mas eu era engraçado
E no falar, petulante
A conquistava facilmente
Sendo apenas eu
Um novo eu...
Mas o mais puros dos "eu" que eu mesmo já vi
Enquanto nós trocávamos olhares
Ficava um cheiro de amor pelos ares
Eu era cativado por um sorriso
E me vinha um olhar franco nos olhos
Um jeito derretido
E dos mais sinceros
Foi quando eu tinha a coragem
De dizer pra me tirarem tudo que tenho
E nem assim
Poderiam me tirar a felicidade de amar quem eu amava
Pena que o tempo foi passando
E, num piscar de olhos
Me tiraram a única coisa
Que eu achei que não podia se mover
O amor a tornava pesada
Que só eu poderia carregar
E a atração nos puxava pra junto
Mais forte que gravidade
Mas fomos cercados
Condenados
Eu saí ileso em corpo
Devastado e em prantos em alma
E ela, foi direto pra execução
Na fogueira queimou
Enquanto olhava nos meus olhos de paixão
Bem quando a brisa do amor se acabou