domingo, 29 de dezembro de 2013

Daquela noite

Naquela noite, contemplando o mar
Eu me perdi
Na imensidão do azul
E na escuridão sob o luar vermelho
Em transfusão
Naquela noite de indagação
Eu me perdi no meu desritmado coração
Apaixonado
Delirante, em eterna hesitação
Naquela noite, a música era esplêndida
Havia o calor da multidão
Mas este era uma brisa fria
Em comparação
Com nossos corpos agarrados
Em brasas
Eu me perdi no olhar de uma morena
E as ondas e rochas formavam ali mesmo
Um belo cenário de amor
Conseguindo cumprir o que sempre quis
Tasquei-lhe um beijo e fui feliz
Até quando durou
Nem tudo foi como planejado
Mas depois de meses terminei o que pensei
Escrevi o que ali imaginei
Que tava há tanto engasgado
E posso agora considerar isso tudo terminado