segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Eu vou

Eu vou contradizer o que você pensa
E quem vai sofrer é você
Quando perceber que de mim, não consegue despensa
E quando perceber
Que é sobre mim que seus pensamentos gritam
Vai surgir aquela esquizofrenia que chamam vulgarmente
De amor
Mas, calma
Isso é só desejo
Ao desfrutar algo tão bom
Pois te levarei ao paraíso
E isso te juro, sem temor
Depois, virá a amizade
E eu serei teu melhor
Dividiremos tudo, de segredos a sorvetes
E aí, chegará o inevitável
Eu, já estarei acomodado em teus afagos
E tu não conseguirá mais desgrudar das minhas palavras
E nos tornaremos necessitados de nós mesmos
Te farei várias resmas
Tu me ensinarás o que ainda preciso
E nós seremos harmonia
Par dançante
Em sincronia
Com o romance
Sem nostalgia
Mas ofegante
Do que pode vir do dia
Amanhante