segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Batalha de amor

Se você quer meias verdades,
Calce um sapato.
Não quero mais tuas brincadeiras,
Tuas caretices.
Me devolve meu coração.
Tu quer me viver de ilusão
Enquanto eu me mato,
No mato, a minha paixão.
Enquanto eu me rapto,
Tu és um rato e um leão.
Quando saio da tua
Sou um guri.
Quando te saco, me repeles.
Eu vou sem ti.
Quando me arrastas, me paralisas,
Me dás a mão.
Quando te pego, te sinto em ilusão.
Quando me ergo, me erro o coração.
Quando me apego, enlouqueço de emoção.
Quando tu voltas, eu me odeio por mim.
E me conquistas novamente, como um dragão.
Me iludes, me enche de cri-cri-cri.
Me esnoba, me bate, me deixa assim.
Quando voltas, finge que tudo era calor.
Minto e me esconde atrás da dor.
Me declaro novamente o meu amor.
Não sossego, não vivo assim sem ti.