sexta-feira, 26 de abril de 2013

Amizade Verdadeira

Chamo de verdade
tudo aquilo que imagino ser,
tudo aquilo que quero
ou o que um dia eu vou querer.
Chamo o que eu espero
de algo que podia ter.
Minha amizade verdadeira
não vive comigo todo dia,
não é do meu sexo
e cinema, comigo não via.
 Raramente vai a minha casa,
nunca vou a casa dela,
uma vez, jogamos bola,
"por obrigação", diria ela.
Minha amiga as vezes fala comigo
e as vezes eu converso
quem sabe, desabafo amigo
outras vezes, nos dispersa,
no final eu só fico.
Minha amiga é minha filha,
ou assim a chamamos,
um dia vai precisar assim,
todo dia que estamos.
 Todo dia é dia dela e,
quando não é, eu dou pra mim.
 Quase sempre não é, enfim,
no final eu amo ela,
não de precisar muitão,
mas de tar no coração,
na minha melhor viela.
Minha amiga é sem fronteira,
também é toda TIM.
Ela que ama viajar,
e vai embora sempre sem mim,
e vai com o namorado
meu amigo, encabulado
que ela não sabe porque,
mas que eu garanto a você
nunca chegou a esse lado.
Minha amiga tão palhaça
que eu elogio, ela embaraça
que me deixa tão preocupado
por tar longe, afastado,
mas confiando na segurança
por eu conhecer sua cabeça,
e, mesmo que na frança,
não que eu te esqueça,
eu fico bem relaxado
ainda estou preocupado
esperando que para aqui você desça.
Minha amiga que nem parece.
O povo vê e, da gente, esquece.
Minha amiga que, mesmo escuro,
eu sei que estará no meu futuro.
Minha amiga tão besta e inteligente
só as vezes me abraça, no presente.
Minha amiga desde o passado
que, mesmo sem nossa nossa presença,
estaremos lado a lado.